O poder dos alimentos anti-inflamatórios

alimentação anti-inflamatória

Alimentos anti-inflamatórios são deixados de lado na alimentação ocidental e esse é um grave erroque cometemos contra o nosso sistema imunológico.Acredito que a melhor forma de se entender porque esse erro pode custar tão caro à nossa saúde (e beleza), é importante, pelo menos, ter uma ideia de como funciona o nosso sistema imunológico.

Nosso sistema imunológico é composto por dois grupos de substâncias: as pró-inflamatórias e as anti-inflamatórias.  As características e o papel delas na nossa vida você confere logo abaixo.

Agentes pró-inflamatórios: um exército poderoso

As substâncias pró-inflamatórias nos protegem contra todos os tipos de lesões, como ataques de vírus, bactérias ou fungos; machucados, cortes, etc.

Quando nosso corpo sofre uma agressão (interna ou externa) os agentes pró-inflamatórios são acionados. Como um exército de “soldadinhos”, as células pró-inflamatórias partem em defesa do nosso sistema, atacando o agressor, ou trabalhando para cicatrizar os tecidos lesados.Essas substânciassão muito poderosas. Demais até.

Você deve conhecer algum amigo (a) super gente fina e estabanado (a), certo? Aquela pessoa que quer te ajudar lavando a louça e quando termina o chão está uma lameira só! Pois, bem.  Elas são como as nossas células pró-inflamatórias. Nos protegem, mas, não conseguem fazer isso sem causar estragos. Ao aniquilarem o agressor, as células pró-inflamatóriasacabam atacando também as células saudáveis que estão próximas.  E quando exterminam células sadias, colocam em risco nossa saúde. Portanto, alguma coisa tem que ser feita.

Agentes anti-inflamatórios: o exército ponderado

É aí que entram em ação as substâncias anti-inflamatórias. Elas vão agir imediatamente impedindo o ataque às nossas células sadias. Digamos que os agentes anti-inflamatórios sejam outro tipo de “soldadinhos”,só que mais ponderados. É a turminha do “deixa isso pra lá”. A função delas é proteger nossas células sadias dos exageros dos agentes pró-inflamatórios.

Ambos os agentes protetores do nosso organismo necessitam de gorduras para que se formem.

Os pró-inflamatórios, ou os “soldadinhos poderosos e estabanados”, são formados a partir de um grupo de ácidos graxos que compõem o ômega 6. São encontradas no óleo de girassol, açafrão, gergelim, milho, nas carnes vermelhas, aves, queijos, leite integral e derivados,óleos e peixes de água quente.

Os anti-inflamatóriosou os “soldadinhos ponderados” são formados a partir do grupo de ácidos graxos do ômega 3, encontrados nos peixes de águas frias e profundas como o atum, a sardinha, o arenque, o salmão; nas oleaginosas (nozes, castanhas, tâmaras, etc.); nas sementes de chia e linhaça; no óleo de linhaça.

Devemos priorizar os alimentos anti-inflamatórios?

Não deve haver prioridade entre um tipo de alimento e outro, esclarece o Dr. Roberto Navarro, nutrólogo. O ideal da alimentação é que haja um equilíbrio entre essas forças.  Na alimentação devem estar presentes nutrientes que vão fortalecer tanto as os agentes pró-inflamatórios quanto os anti-inflamatórios, na proporção de 1 por 1.

No entanto, não é isso que acontece.

Alimentação que inflama

Na alimentação ocidental há uma predominância quase que absoluta das gorduras ômega 6. A proporção de gorduras é de 31 das pró-inflamatórias contra 1 das anti-­inflamatórias. Essa desproporção enfraquece as defesas do organismo, que não conseguem barrar os processos inflamatórios por si só. Por isso, quando adoecemos ou sofremos qualquer tipo de lesão, precisamos de medicamentos anti-inflamatórios.

Inflamação interna causa doenças, obesidade e celulite

Esse processo inflamatório ocorre constantemente em nosso organismo. Se não por ferimentos ou ataques externos, pela ingestão de alimentos que contenham substâncias estranhas.Quando ingerimos tais substâncias, nosso corpo, por não as reconhecer, as interpreta como invasoras. Para combatê-las, são acionados os mesmos agentes pro-inflamatórios que vão atacá-las e iniciar o processo inflamatório. Como nossos agentes anti-inflamatórios estão enfraquecidos, não conseguirão combater a inflamação, que pode perdurar por meses e até anos, sem sintomas.

Com o tempo, inflamações vão se acumulando e aparecem doenças como atrite, colite, psoríase, obesidade. A celulite, embora não seja caracterizada como doença, se forma pelo mesmo processo inflamatório. Por isso, quando se melhora a alimentação, ocorre uma melhora na celulite.

Alimentos anti-inflamatórios promovem o equilíbrio do sistema imunológico

A melhor forma de se melhorar esse quadro é ingerindo alimentos que fortaleçam nosso sistema imunológico de igual para igual. Assim, o ideal é substituir boa parte dos alimentos que consumimos hoje, e que são ricos em ômega 6, por outros, ricos em ômega 3.

Num vídeo divulgado recentemente, médicos pesquisadores ingleses orientam que se inclua na alimentação, azeite extra virgem, peixes e oleaginosas, de 2 a 3 vezes por semana. Segundo a pesquisa, isso já seria o suficiente para equilibrar as defesas do organismo, e, pasmem (!)retirar uma pessoa da zona de perigo de doenças cardíacas já nos primeiros meses de adoção da dieta.

É imprescindível também eliminar alimentos que não ofereçam nutrientes, como os industrializados, que contêm muitos conservantes, corantes artificiais, adoçantes, etc. Essas substâncias não fazem parte do nosso quadro metabólico e, portanto, contribuem para a formação dos processos inflamatórios intracelulares.

Quando conseguirmos equilibrar essas forças, a resposta será saúde e beleza.

 

Alimentos que não podem faltar numa dieta anti-inflamatória

Proteínas: Atum, Bacalhau, Camarão, Filé de Peixe, Salmão.

Frutas: Abacate, Acerola, Goiaba, Limão.

Vegetais: Todos os de folhas verde-escuro, beterraba, cebola, cenoura, couve, couve-flor, pepino, repolho, tomate.

Gorduras: Azeita extra virgem; óleo de coco.

Frutas Secas Oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas, semente de chia, semente de linhaça.

Fruta Desidratada:Goji Berry.

Raízes: Gengibre, Cúrcuma.

Antioxidantes: Vinho tinto seco; vinagre de maçã e chá verde.

 

Alimentos que não devem fazer parte de alimentação anti-inflamatória

Produtos industrializados: Esses alimentos contêm substâncias que não são nutrientes para o nosso organismo, e quando consumidos, causam as tais inflamações internas ou ainda alergias. Aliás, a maioria das pessoas que sofre de alergias, não têm alergia ao alimento em si, mas sim a alguma substância que foi adicionada a ele como por exemplo, corantes, acidulantes, conservantes, etc. Fique longe desses alimentos: margarina, biscoitos recheados, biscoitos amanteigados, bolos, pipoca de micro-ondas, sorvete, batata frita, chips (salgadinhos), X Salada, refrigerante, cachorro-quente, pizza industrializada, refrescos em pó, adoçantes artificiais, etc.

Quanto mais industrializado o alimento, mais inflamatório ele será.

Fonte: Roberto Navarro

Submit your review
1
2
3
4
5
Submit
     
Cancel

Create your own review

Livro Emagrecer De Vez. É POSSÍVEL SIM!

Natália Palucio

Blogueira, Geek e nutricionista no dia a dia, aqui é onde posto dicas de alimentação, moda, saúde, dieta, comportamento, beleza e etc... Não perca meus próximos posts!!!

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*